O homem que reinventou a melhoria

Como citou meu amigo Hélio Rocha, Kaizen é a fusão das palavras japonesas “Kai” – Mudança e “Zen” – Melhor, ou para melhor. O resultado é Melhoria Contínua, um conceito que já é nosso velho conhecido mas que ninguém definiu melhor que o Sr. Imai, com sua filosofia da simplicidade e do combate ao desperdício. Masaaki Imai é conhecido como o pai do Kaizen. Então, vamos conhecer um pouco mais de sua história:

Ele nasceu em 1930, em Tóquio, capital do Japão. Em 1955 se formou em Relações Internacionais, pela Universidade de Tóquio.

Imai trabalhou durante vários anos na Toyota. Lá, promoveu diversas missões japonesas aos Estados Unidos, para completar a formação dos executivos de empresas japonesas e vice-versa, contribuindo para o intercâmbio entre os dois países.

Em 1962 o Sr. Imai fundou a Cambridge Corp., atuando então como consultor de empresas japonesas. E em 1985 fundou o Kaizen Institute, para auxiliar na introdução dos conceitos do Kaizen nas empresas ocidentais. Desde então, a metodologia se tornou popular no ocidente; primeiro entre executivos americanos; depois ganhando o mundo!

Autor de diversos best-sellers de Gestão, seu primeiro sucesso foi “Kaizen: The Key to Japan’s Competitive Success.” – (Kaizen: A Chave do Sucesso Competitivo do Japão), que vendeu mais de 300.000 cópias e foi traduzido em mais de 20 idiomas.

Em 1997 o livro “Gemba Kaizen: Common-Sense Approach to Business Management”, sem tradução para o português, obteve também grande sucesso. No Brasil foi publicado o recentemente o título “Gemba Kaizen – Estratégias do Kaizen no Piso de Fábrica”, voltado principalmente para a gestão industrial.

Gemba aliás é outra palavra chave na filosofia do Kaizen: é onde o que importa acontece! Segundo o próprio Sr. Imai, gemba “é o lugar onde é fabricado o produto. Para uma empresa de manufatura, isto é o chão de fábrica. Para uma prestadora de serviços, é o lugar onde o cliente interage com a companhia e, às vezes, onde as funções de atendimento ao cliente são executadas.” – e continua – “No Japão, o gemba é considerado como uma das responsabilidades mais sagradas da gerência, porque é onde a satisfação de cliente está. Os gerentes ocidentais geralmente não focam o gemba, não é um exagero dizer que o gemba é a sua última fronteira.” – portanto, o sucesso do Kaizen depende muito de um íntimo conhecimento do gemba.

Hoje o Sr. Masaaki Imai circula o mundo disseminando a filosofia Kaizen, ministrando palestras, seminários e cursos para altos executivos.

Conheça um pouco mais de Kaizen:

Os 10 Mandamentos do Kaizen

1. O desperdício é o inimigo nº1. Para eliminá-lo é preciso sujar as mãos.

2. Melhorias graduais feitas continuadamente; não é ruptura pontual.

3. Todos na empresa tem de estar envolvidos, desde os gestores do topo e intermédios, até o pessoal de base; a metodologia não é elitista.

4. A estratégia deve ser barata. O aumento da produtividade deve ser feito sem investimentos significativos. Não se deve aplicar somas astronômicas em tecnologia e consultorias.

5. Aplicar-se em qualquer lugar; não serve só para os japoneses.

6. Apóia-se numa gestão visual, numa total transparência de procedimentos, processos e valores; torna os problemas e os desperdícios visíveis aos olhos de todos.

7. Focaliza a atenção no local onde se cria realmente o valor (‘gemba’, em japonês).

8. Orienta-se para os processos.

9. Dá prioridade às pessoas, ao humanware; acredita que o esforço principal de melhoria deve vir de uma nova mentalidade e estilo de trabalho das pessoas (orientação pessoal para a qualidade, trabalho em equipe, cultivo da sabedoria, elevação da moral, autodisciplina, círculos de qualidade e prática de sugestões individuais ou de grupo)

10. O lema essencial da aprendizagem organizacional é aprender fazendo.

Fonte: Quality Digest – Outubro de 2005

Projetos Kaizen:

Projetos Kaizen (Value Stream Project) são projetos que visam a otimização da cadeia de valor na sua totalidade. É utilizada a metodologia de análise e desenho de soluções designada por Value Stream Mapping / Value Stream Design – VSM / VSD e é realizada em 5 fases distintas:

1 – Mapeamento da Situação Atual
2 – Formação Teórica-Prática
3 – Desenho de Soluções Kaizen Lean
4 – Plano de Implementação
5 – Retorno do Projeto

Veja detalhes sobre todas as fases acima no site do Kaizen Institute (em português)!

Excelente leitura complementar:

Kaizen … sob a visão de Lean Manufacturing – Hélio Rocha

Os Cinco Esses Do Kaizen – Sebastião Guimarães

0 thoughts on “O homem que reinventou a melhoria

  1. Aunque quizas en muchas empresas se haya hablado mucho sobre Kaizen y se este adelantado actividades de mejora; no dudo en reconocer que nos queda mucho camino por recorrer todabía, en la implementación eficaz de las Técnicas de Mejoramiento Continuo. Realmente tenemos mucho por aprender, por desarrollar por aportar en el mundo del Kaizen. Gracias por este artículo. Un Saludo desde Bogotá Colombia.

  2. Pingback: Masaaki Imai, Imai Masaaki - Topic Research, Trends and Surveys

Deixe uma resposta